Abaixo de zero

Abaixo de zero

Países de temperaturas mais baixas são os principais consumidores de sorvete do mundo

Sol, praia, parques, condições perfeitas para tomar um sorvete. Com verão intenso e temperaturas elevadas na maior parte do ano, o Brasil é propício para o consumo da sobremesa. Mas você sabia que o consumo de sorvetes no país, cerca de 6,5 litros per capita ao ano, ainda é pequeno perto dos países com temperaturas baixas e invernos rigorosos como Nova Zelândia, Estados Unidos, Canadá, Áustria e Suécia? O número chega a ser quatro vezes menor que na Nova Zelândia, onde o consumo de sorvetes por pessoa é de aproximadamente 26,3 litros ao ano.

Esses dados mostram o potencial do produto no mercado brasileiro, que apesar de ter crescido cerca de 80% em dez anos, ainda encontra muito espaço para se desenvolver, o que representa oportunidades em um país com temperaturas tão propícias ao consumo de sorvetes quanto o Brasil.

De olho no aumento da temperatura, muitas empresas passaram a explorar o clima, incorporando sorvete ao negócio. É comum, por exemplo, encontrarmos lojas de chocolate, pizzarias, padarias e até mesmo farmácias vendendo sorvete.

Para acompanhar a rápida evolução do mercado, as sorveterias têm investido em variedade, algumas delas oferecem mais de 100 opções de produtos no cardápio, incluindo clássicos e criações autorais.

Picolé, massa, soft ou artesanal, não importa qual o tipo, a verdade é que o sorvete está para os brasileiros assim como a massa está para os italianos.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado. *