10 dicas para sua vida financeira

10 dicas para sua vida financeira

Tem dificuldades em fazer a gestão do seu dinheiro? Siga as dicas e não erre mais

O dinheiro é visto como um grande amigo, mas se mal administrado, pode se transformar em um verdadeiro inimigo na vida de qualquer um. Por falta de experiência, cuidado ou até mesmo atenção, cometemos erros que podem desorganizar completamente nossas finanças pessoais e nos colocar em situações realmente tensas.

Dificuldades financeiras afetam diretamente vários pontos da nossa vida, mas o convívio familiar, a produtividade no trabalho e a qualidade da vida social são os primeiros atingidos quando passamos por uma crise.

Por isso especialistas reforçam a importância de ter uma vida financeira organizada, garantindo assim uma vida mais tranquila e sadia em diversos aspectos.

Confira 10 dicas que vão ajudar nessa missão:

1 – O Dia D
Escolha um dia no início do mês para se organizar. Monte uma planilha ou use um caderno para listar todas as suas despesas fixas, dívidas, pagamentos e gastos eventuais que você poderá ter ao longo do mês. Coloque também seu salário, se tem alguma renda como aluguéis ou lucros extras. Monte o orçamento mensal e fique atento para equilibrar os ganhos com os gastos. O ideal é que haja uma sobra de 10% a 20% do seu salário. Nos primeiros meses pode ser difícil conseguir esse equilíbrio, mas o importante é não desanimar!

2 – Tenha prioridades
Caso neste começo o os gastos estejam maiores que os ganhos, o primeiro passo é reduzir imediatamente suas despesas. Defina prioridades e corte tudo que não é essencial. Este é um período difícil e requer muita dedicação e disciplina, mas lembre-se que é essencial para o início de uma nova fase na sua vida. Jantares em restaurantes, passeios e viagens podem esperar um pouco até que tudo fique organizado.

3 – Aprenda a usar o dinheiro de forma consciente
Passamos a vida querendo aprender a ganhar dinheiro, mas não prestamos atenção em como devemos gastá-lo. Todos já ouviram falar de empresários que ganharam fortunas, mas que terminaram falidos por não saber administrar. Nada melhor que aprender com os erros dos outros. Leia, estude e busque informação sobre finanças. Há diversos livros, revistas, jornais e sites que traduzem o “economês” para a linguagem do dia-a-dia.

4 – Estabeleça objetivos
É extremamente importante determinar um valor, um prazo e um objetivo financeiro a ser atingido. Organize-se para conseguir criar as condições que a meta seja cumprida. Exemplo: Comprar um carro no valor de R$ 35 mil, dentro de 2 anos. Faça uma análise do seu orçamento e veja como pode reorganizar tudo para conseguir alcançar o objetivo estipulado.

5 – Lembre-se de guardar
Ter o hábito de poupar é o grande segredo. É a reserva de dinheiro que permite que a pessoa enfrente situações emergenciais ou crises sazonais. Encare como compromisso a tarefa de guardar de 10% a 20% de sua receita mensal e comece a sentir as primeiras sensações de segurança e estabilidade financeira.

6 – Aprenda a investir
Depois de um período inicial de organização, a pessoa começa a ter recursos para investir. As contas estão em dia, não há dívidas pendentes e a meta de gastar menos do que ganha emplacou.  Chegou a hora de fazer o dinheiro trabalhar para você. Busque investimentos de acordo com o seu perfil. Para isso, solicite a ajuda do seu gerente do banco, conte com o auxílio empresas especializadas em prestar esse tipo de assessoria ou se capacite para assumir a tarefa de cuidar dos próprios investimentos.

7 – Atenção para dívidas e parcelas
Sempre que possível, escolha fazer compras à vista. Controle a ansiedade, junte grana e adquira o produto ou serviço pagando de uma só vez. Isso aumenta o poder de negociação na hora da compra, permitindo descontos e outras vantagens. Use o financiamento apenas para situações específicas, como a compra de um imóvel.

8 – Fuja das promessas fáceis
Cheque especial e cartões de crédito representam graves ameaças ao planejamento financeiro. As taxas de juros são maiores e a pessoa é seduzida pela facilidade em contrair a dívida. Lembre-se que dinheiro fácil custa muito mais caro. Tenha cuidado!

9 – Use a portabilidade
Se você tem algum contrato de financiamento ou empréstimo pode aproveitar as vantagens de uma portabilidade. Com ela, o devedor tem sua dívida “comprada” por outra instituição financeira, que lhe oferece condições de pagamento mais favoráveis. A pessoa troca a dívida cara por uma mais barata. Procure os bancos e informe-se sobre essa possibilidade.

10 – Disciplina, disciplina e mais disciplina
Nenhuma das dicas anteriores funcionará, se a pessoa não tiver disciplina para organizar as suas finanças. Seguir o planejamento traçado é fundamental. As tentações do consumo surgem a todo instante e é preciso se manter permanentemente focado nos planos e objetivos traçados.

Fonte: http://www.coachfinanceiro.com

Se interessou pelo assunto? Encontre mais dicas nos livros abaixo:

Livro Pai Rico, Pai Pobre
Livro Pai Rico, Pai Pobre

Pai rico, pai pobre
Robert Kyosaki e Sharon Lechter

“Pai Rico, Pai Pobre” é um dos livros mais vendidos sobre esse tema em todo o mundo e apresenta uma abordagem única sobre assuntos como empreendedorismo, finanças pessoais e hábitos para a construção de riqueza.

Robert Kiyosaki e Sharon Lechter também apresentam uma definição muito interessante para os termos “passivo” e “ativo”, e que serve de base para a construção de riqueza segundo os autores.

 

Livro Quem Pensa Enriquece
Livro Quem Pensa Enriquece

Quem pensa enriquece
Napoleon Hill

O autor da obra passou mais de 20 anos estudando as pessoas mais bem-sucedidas do mundo à época (o livro foi lançado em 1937). Neste estudo, ele percebeu que a maior semelhança entre estas pessoas estava na sua mentalidade.

Ao longo do livro, ele explica quais são as principais características destas pessoas e como desenvolver a mesma mentalidade delas.

 

Livro Cartas a um jovem investidor
Livro Cartas a um jovem investidor

Cartas a um jovem investidor
Gustavo Cerbasi

Gustavo Cerbasi é um dos autores mais conhecidos quando o assunto é finanças pessoais, especialmente aqui no Brasil.

O escritor, professor, palestrante e consultor financeiro também é referência em diversos outros assuntos, como planejamento familiar, finanças para negócios e economia doméstica.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado. *